Aficcionado pelo Ratatouille!

albumratNão sei se vocês sabem mas o filme-animação Ratatouille, da Pixar/Disney Studios, rendeu muito mais que utensílios, bonecos, acessórios e toda gama de produtos mercadológicos. Como aficcionado que sou do carismático ratinho-Chef Remy, do crítico gastronômico Anton Ego, do desastrado Linguini, e do filme de forma geral – acho que assisti umas 12 exibições da película, por enquanto -, procurei um jeito divertido de satisfazer a “tietagem”.
Isto mesmo. Logo que a fase do cinema passou, a editora Abril lançou o álbum de figurinhas auto-adesivas do filme. Olha só quem colecionou até o último cromo? Exatamente, eu! :))

São 220 figuras coloridas das cenas deste sensacional filme, que virou clássico e não pode faltar em nenhuma DVDteca de
gourmets ou cozinheiros pelo mundo. Quem tiver curiosidade deixo dar uma olhadinha, mas sem tocar, hem!  [risos].ratgramado


Para rir (ou chorar!):

Desejei muito ter ganho alguns cromos no “jogo do bafo”, mas não se fazem mais crianças como antigamente – tive que trocar as repetidas na Internet, pode?…tsk, tsk…!

Cozinha alemã autêntica

servus4Voltando à gastronomia, pois este é um Site também de comida, retornei às mesas do restaurante Servus. É sempre uma satisfação ir a uma casa e ter certeza de encontrar aquela mesma refeição deliciosa. O restaurante Servus é um destes lugares. Não há na Capital melhor representante das culinárias alemã e austríaca. A casa funciona com um buffet livre ao comensal, com mais de vinte itens da cozinha germânica. Serve 4/5 tipos de salsichões, maioneses e suflês variados, e pratos típicos caprichosamente preparados pela Chef Birgit e sua mãe, como: joelho de porco “catado” (Eisbien), repolho roxo com maçã e suflê de chuchu [foto-1]; bisteca defumada (Kassler); tradicional Gulasch com Spaetzle (nhoque alemão) e chucrute totalmente artesanal [foto-2]; além do frango com pimentão, peixes e vários embutidos.

servus1servus2servus5

Tudo acompanhado de ótimas cervejas e boa carta de vinhos, especialmente alemães. Para o fim [deste banquete] o Apfelstrudel de maçã é o melhor que já provei na vida. Para não ficar no falatório, deixo que contem comigo na foto as mais de 17 camadas finíssimas da torta. É um exagero na arte de pâtisserie, não?! Aproveitem o fim de semana e passe lá para conferir. Abre só pro almoço, nos sábados e domingos (12 às 16:30 h.). End.: Servus – Rod.DF 140, Km 6,2 – caminho Cachoeira Tororó. Fones: 3339-6147 ou 9965-4601.

Mais uma Dica da Semana!

HOJE TRAZEMOS MAIS UMA SUGESTÃO DE VINHOS.

Motivos para ficar ligado na coluna “Dica da Semana”:

Um vinho novo a cada 5a.feira!
Ter sempre à mão uma nova aquisição p/ adega!
Chamar a(o) namorada(o) para provar juntinho!
Agradar a(o) esposa(o) com um jantar romântico!
Mostrar aos amigos que você está ligado nas novidades!
Diversificar seu conhecimento com novo leque de opções!
Ir às lojas ou restaurantes sabendo o que irá pedir!
Ter sempre uma opção p/ suas festas e comemorações!

Então:
NUNCA PERCA A DICA DA SEMANA!

A Ansiedade venceu o medo!

merlotterroirMERLOT TERROIR 2008

Quatro meses atrás adquiri o novo lançamento da Miolo, o Merlot Terroir 2008. Confesso que desejei abrí-lo na mesma hora que chegou em minha residência. Esta ansiedade existia porque acompanho este vinho desde seu nascimento. Provei a safra 2004 e também a 2005, as únicas feitas para este vinho. Colocava algumas apostas para este vinho brasileiro por dois motivos: a escolha da casta merlot e todo processo que envolve sua produção, desde o critério na opção das safras (sinal de quem conhece o clima e ambiente das uvas: “se o ano não for bom, não vinifico!”), das parcelas do vinhedo, e até a consultoria por enólogo externo, no caso, o talentoso Michel Rolland.

A ansiedade venceu o medo, sim, pois depois das provas anteriores (2004 e 2005), que para mim faltavam experimentação e avanços na vinificação, eis que surge um vinho repleto de personalidade [Uaw!!]. Esta safra 2008 está “supimpa”, à altura dos estrangeiros! Cor rubi intenso com violáceos. Aromas de frutas negras, cacau, herbáceos e tênue mentolado e ainda toques florais. Apesar dos 12 meses no carvalho francês e mais 12 meses na garrafa, a madeira apenas dá elegância ao corpo. Um banho de terroir na boca, com leve apimentado e acidez controlada, deixando aparecer toda expressão da uva merlot. Sabores complexos denotam harmonia e profundidade. Nota: 86 pts.

A assertividade aparece em todas etapas de produção deste vinho. Melhor beber em mais 1/2 anos, pois está a indicar boa evolução, além de mais maduro. Com refeição deve se mostrar bastante poderoso – vou abrir a segunda garrafa para esta sacrificante prova [risos]. Definitivamente o melhor tinto nacional que provei! Quer um vinho com terroir de Brasil? Tente esta ampola e surpreenda-se com a personificação.

Cine “ESTÔMAGO”

DCV250508-1Aos Cinéfilos, Gourmets e Enófilos,
Nesta 5a.feira fui ao cinema p/ despretensiosamente assistir uma película brasileira, mas qual foi minha surpresa, sai da sala extasiado.
O filme?  “ESTÔMAGO”, de produção Brasil-Itália. É uma comédia-drama deliciosa, literalmente, pois fala sobre: comida.
Conta a história de um paraibano que migra para cidade grande e ganha vida como cozinheiro, aprendendo tudo sobre a arte da gastronomia!
Coisas acontecem e ele vai parar na cadeia, e lá continua sua arte da culinária, cozinhando para os colegas de cela, com direito a banquetes e vinhos.
O filme é tão maravilhoso que tem de tudo um pouco: boa trama, suspense, comédia inteligente, erotismo de muito bom gosto, paixão e romance, e o principal, muita ciência, arte e poesia gastronômica. O personagem principal, R.Nonato – que na cadeia passa a Nonato Canivete e depois, Alecrim – descobre o dom para culinária e passa a usá-lo em prol de si.

Aos enófilos o filme traz ótimas dicas como o famoso vinho Sassicaia, o primeiro Supertoscano conhecido na Itália, sendo o precursor na produção de vinhos italianos com uvas francesas (cabernet e merlot). Mostra ainda um belo exemplar de Chianti, de B.Santi. Além de um Barolo.

Aos Gourmets vejam só: o filme apresenta o cozinheiro em seu templo – a cozinha – fazendo coisas como “coxinhas” (no primeiro buteco), depois carnes assadas, passando por massas ao molho para sua “amada” prostituta, sobremesas com gorgonzola, até uma farofa louca de “formigas”. Um banquete completo passa pela tela do cinema, na parte final do filme. Uma festa – mas dentro da cadeia, claro!
Muito bem produzido, ótimos diálogos, excelente fotografia, iluminação perfeita. Nada comparável aos tradicionais filmes nacionais, com seus
scripts infantis – beirando o ridículo -, iluminação “sem” luz e fotografia sofrível.
O enredo é maestralmente trabalhado pelo novo diretor Marcos Jorge, que já acumula vários prêmios somente com esta estréia…e que Estréia.DCV250508-2
Como é um filme sem apelo mercadológico, a mídia não dá destaque, mas considerei o melhor filme que assisti neste ano, indiscutivelmente.
E recomendo a todos que gostam de poesia, principalmente trazida pela arte da gastronomia. O que por si já é uma delícia!


NÃO DEIXE DE VER ESSE FILME. Vale a pena, antes que saia de cartaz, ou antes que a pirataria roube a cena!!